segunda-feira, 7 de abril de 2014

Ainda acordado...


Desde o despertar do gigante, que se questiona para onde ele vai, visto que foram tantos os "desmando" a corrupção advinda de onde se menos esperava, que se tornou um ruida tão forte a ponto de acordar o "gigante" que como se sabe, ser acordado de forma agressiva não nos permite nos primeiros momentos discernir bem o que nos incomoda. O contra ponto disso tudo é que o ruido não diminuiu, a pesar do tempo, ainda é possível ver a desesperança e, sobre tudo, porque muitos dos discursos de outrora pareceu ser pautado na ética, no respeito mútuo e na transparência, já não convencem mais, isso porque os autores te então, mudaram o tom ao assumirem   os postos de chefia, objeto da critica.
Movimentos de greve nos quatros seguimentos: Polícia Militar, que apesar de acordarem com o governo, ainda não sentiram as mudanças que pleitearam, os conselheiros tutelares I e II, em Imperatriz, estes, "de volta ao trabalho", os servidores da saúde e da educação, se somam em paralisam atividades, são organismos do Estado cujas funções são garantir o atendimento qualitativo à comunidade, cada um em sua área específica. Na prática há muito o que dialogar e assumir de fato e de direito as responsabilidades de cada parte que compõe o todo, no funcionamento da "coisa" pública, inclusive uma melhor observância por parte do público alvo dessas ações. Nestas oportunidades aparecem os que de tudo sabem e, cujas respostas já estão prontas, mas, estas, só até a "vitória" daí, a percepção muda, o grau de complexidade é maior do que o que se imaginou, sim, imaginou pois, é sem plano e propostas que quase sempre é feita a campanha eleitoral. É deputado garantindo fazer, quando esta é tarefa do executivo; É o judiciário que quase sempre usa um peso e uma medida para cada caso e, quase sempre na balança não há tara (equilíbrio); É o advogado que em cumprimento do seu dever, defende e de forma exaustiva, a ponto de escrever 365 parágrafos, para dizer que 2+2 poderia ser quatro e/ou 22: E por aí vai... A capacidade de reflexão sobre o que nos cerca está contida em cada um(a) se si faz uso é outra coisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário