sábado, 1 de fevereiro de 2014

Quer mudança?....


Apesar dos reclames da comunidade em geral, o que se percebe é um "deixa que outro(a) faça. Todos querem uma cidade, um Estado melhor,mas, quanto ao fazer sua parte, a coisa muda de rumo. ha muito se ouve e até fala em coleta seletiva, preservação da fauna e da flora; Clama-se por melhor qualidade de vida,mas, fazer o que lhes compete para tal, nem pensar. A alternativa é se esquivar na defesa, através do ataque: "...é responsabilidade do governo que prometera isto e aquilo,mas, até agora..." Ai quem tem um olhar mais atento se da conta de senas como essa, ilustrada acima. Espalha-se areia, joga-se lixo nas ruas, canalizou-se esgotos e até dejetos para a rua descambando nos, antes, riachos, hoje córregos fétidos interligando bairros que compõem a cidade. No rumo que estamos seguindo, achando que conosco isso não acontece, vamos nos aproximando da realidade: a escocês de água, potável, alimentos por exemplo. Pode ser que seja tarde para despertar; cuidar bem do que nos cerca, usar de forma precisa e consciente nossos recursos hídricos, e todos os demais, dos quais depende nossa vida, não é tarefa tua, dele(a) mas, nossa. Realizam congressos, seminários, simpósios e, tudo sob a tutela do aprendizado, que quase sempre resulta num conhecer sem pra que, sim porque de que vale leis que norteiam, se pra cumprí-las  só sob a força da fiscalização? Nos permitimos ser dominados por acomodação, usamos: cinto de segurança, capacete por causa da lei e não por causa da vida; queremos um ambiente limpo, mas, não limpamos, pelo contrário, sujamos jogando o que não precisamos onde estamos sem nos perguntarmos, o que e porque dessa atitude? poderia manter no interior do veículo, da residência, trabalho para ser disperso no local adequado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário